Lubrificando a Bike

A função da graxa é minimizar o atrito entre em as partes e estender a vida do conjunto. No entanto, a graxa também tem sua vida útil. Como acontece com os carros que precisam trocar o óleo de tempos em tempos, com a bicicleta é a mesma coisa. No caso dos carros, você pode reparar que o óleo sai preto, bem diferente de quando é colocado no motor. Com a graxa também acontece a mesma coisa, quanto mais escura a graxa, pior a qualidade.

Seguindo este princípio, sempre que a graxa estiver preta ela deve ser trocada. E colocar graxa preta ou escura, nem pensar. Outro fator para trocar a lubrificação é a entrada de sujeira no sistema, principalmente areia. A graxa que ajuda a estender o tempo de vida dos cubos se transforma em vilão quando entra areia. A graxa segura os grãos e passa a atuar como uma lixa. E quanto mais graxa tiver, maior é o grão de areia que ela segura. Por esse motivo, o uso de graxa comum na corrente é desaconselhável. Se for usar graxa na corrente, a faxina deve ser mais freqüente.

Que graxa usar

Seguindo as cores poderíamos dizer que a branca e a azul são as melhores. A marrom é geralmente o que sobrou no fundo do tanque na refinaria, portanto menos pura. A branca é uma opção que aparentemente se coloca como primeira da lista, mas apesar de reter menos água, a graxa branca se deteriora mais rapidamente. A azul por outro lado, além de ser uma graxa pura, tem um tempo de vida maior. A azul é a preferida dos mecânicos de bike consulados por Onde Pedalar.

Graxa na corrente

Colocar graxa na corrente pode ser um faca de dois gumes. Seria uma boa opção se a corrente fosse fechada como o cubo. O fato de ela trabalhar ao tempo, faz com que muita sujeira se acumule no sistema e aí ela degrada rapidamente a corrente. O lubrificante melhor pra corrente é aquele que faz seu trabalho com o menor acumulo de substância sobre ela. Assim a poeira não gruda.

Existem alguns óleos, a base de Teflon, especialmente desenvolvidos para correntes que prometem lubrificar a seco sem segurar sujeira. Há também uma graxa em spray que é própria para a corrente e que mais se parece com um óleo mesmo. Mas o velho e bom óleo Singer ainda é uma vedete entre ciclistas, basta ficar de olho para não deixar faltar, ele geralmente seca mais rápido e sai facilmente na água.

O principal para a boa conservação da corrente é sempre mante-la limpa. Depois de uma trilha, sempre lave e lubrifique.

Publicação do SITE Onde Pedalar. Enviado por Marcelo em 01/11/2007 para o SITE: Onde Pedalar.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s